domingo, 7 de março de 2021

São Fernando de Castela só usou a espada por Cristo

São Fernando III el Santo,(Real Mosteiro de São Clemente, Sevilha
São Fernando III el Santo, Real Mosteiro de São Clemente, Sevilha
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




ORAÇÃO PARA TODOS OS DIAS

Rei Imortal dos séculos, misericordioso Jesus, meu Salvador, Redentor e Advogado:

Chefe das Potestades e dos Principados do Céu; Rei dos reis, Senhor dos senhores e dono absoluto de tudo o que tem ser sobre a terra;

Dominador do universo: Justiça, Santificação e Redenção dos homens;

Santo dos Santos, e Santíssimo Santificador dos escolhidos, entre os quais condecoraste vosso Servo São Fernando com as sublimes virtudes, prerrogativas e excelências que outorgaste aos Santos Reis Davi, Josias e Ezequias,

Reunindo nele os dons e as graças dos outros santos líderes de vosso antigo povo escolhido.

Vós que o encontraste tão à medida de Vosso Coração, porque cumpriu Vossa santíssima vontade em tudo, e atendeu completamente Vossos desígnios soberanos:

Rogo-vos humildemente que, pela sua intercessão e pelos seus méritos, Vós conserveis sempre a Religião e a Piedade neste Reino Católico, preservando-o da impiedade e do erro;

Que Vós façais prosperar nossos Reis Católicos, com sua Família Real e seu corajoso exército;

E que, imitando o próprio Santo, vivamos em santidade e justiça todos os dias de nossas vidas, para que depois possamos ver-Vos e desfrutar de Vós por todo e sempre no Reino da Glória.

Amém.

(Fonte: Orações da Novena ao Rei San Fernando, composta pelo Padre Frei Diego José de Cádiz, impresso em Sevilha em 1796 (Reino de Granada)

Hoje temos a festa de São Fernando de Castela. A biografia está tirada de “La Vie des Saints”, pelo Pe. Edouard Daras e outros (L. Vivès, 1899; Nabu Press, 2012):

“Ele foi filho de Afonso, rei de Leão e de Berengária de Castela. Nascido em fins do século XII. Subiu ao trono aos 18 anos, tornando-se um dos grandes soberanos cristãos.

“Aos 27 anos pegou em armas contra os mouros, que mantinham parte da Espanha sob seu jugo e só as depôs quando de sua morte. Foi notável batalhador.

“No dia de São Pedro do ano de 1236 entrou em Córdoba, que os infiéis dominavam há cinco séculos.

“Consagrou a grande mesquita da cidade à Santíssima Virgem e fez transportar nos ombros dos maometanos os sinos de Compostela”.
É, inegavelmente, uma beleza!...

“Marchou sobre Sevilha e tomou-a com forças tão inferiores às do inimigo, que o general que entregou a cidade, olhando-a com lágrimas nos olhos (comentou):

‘Somente um santo poderia, com tais tropas, apoderar-se de uma praça tão forte e populosa’.

“Sua espada só a usou a serviço de Cristo.

‘Senhor, dizia, vós que sondais os corações, sabeis que busco vossa glória e não a minha. Não me proponho conquistar reinos perecíveis, mas difundir o conhecimento de Vosso Nome’.

São Fernando el Santo, Sevilha
São Fernando el Santo, Sevilha
Que linda oração contra o defeito da pretensão!

Poder dizer que em todas as ações de apostolado, se procura exclusivamente a glória de Deus e não a própria!

Não propomos conquistar para nós um prestígio perecível, mas queremos difundir o conhecimento da verdade de Nosso Senhor Jesus Cristo, ou seja a doutrina da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

“Seu exército era um exército cristão. A Santíssima Virgem era sua padroeira e sua imagem era transportada como símbolo de proteção e vitória.

“O rei era o exemplo. Jejuava, usava um cilício em forma de cruz e passava em oração as noites que antecediam as batalhas.

“Essas guerras contínuas nunca o induziram a carregar seu povo de impostos.

“Confiava no auxílio da Providência e afirmava temer mais as maldições de uma pobre mulher do que todo um exército de mouros”.
Agora venham falar que na Idade Média não havia sentido de pena dos pobres, não havia compreensão do direito dos pequeninos...!

Os senhores estão vendo um homem aqui que tem mais medo de cometer um pecado lançando contra uma pobre mulher um imposto injusto, do que de enfrentar um exército de mouros.

“Este grande príncipe morreu quando se preparava para uma expedição em África, contra os últimos inimigos de seu país.

“Ao lhe trazerem o Santíssimo Sacramento, lançou-se de joelhos rodeando seu pescoço de uma corda em sinal de sujeição ao Rei dos reis”.

Urna de São Fernando, na Capela Real da catedral de Sevilha
Urna de São Fernando, na Capela Real da catedral de Sevilha
É a doutrina da sagrada escravidão a Nosso Senhor Jesus Cristo ou a Nossa Senhora.

“São Fernando também amou e protegeu a cultura, tendo fundado a célebre Universidade de Salamanca”.

Um tão grande santo não podia amar a cultura em abstrato como esse trecho induz a pensar.

Ele amava a cultura como um reflexo da glória de Deus e um instrumento para a difusão do Reino de Deus.

“Após mais de quatro séculos, seu corpo foi encontrado incorrupto, quando Clemente XI o canonizou em 1671”.


(comentários de Plinio Corrêa de Oliveira, palestra de 29 de maio de 1968 sem revisão do autor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.