sábado, 24 de outubro de 2020

O remédio dos males: reconhecer os direitos de Cristo Rei e de sua Igreja

Cristo Rei: os Estados devem render culto público a Deus em homenagem à sua soberania universal vitral na igreja de São Miguel, Cumnor, Inglaterra
Cristo Rei: os Estados devem render culto público a Deus
em homenagem à sua soberania universal
vitral na igreja de São Miguel, Cumnor, Inglaterra





A Igreja consagra o último domingo de outubro, à comemoração da festa de Cristo Rei.

Foi o Santo Padre Pio XI [então] gloriosamente reinante que instituiu essa solenidade a fim de reavivar entre os fiéis a lembrança da soberania de Jesus Cristo sobre as pessoas e os povos.

A verdade ensinada por Sua Santidade na Encíclica de 11 de Dezembro de 1925 não é mais do que a reprodução do que a Igreja sempre ensinou e praticou.

Pio XI veio reafirmar em pleno século XX a tradição observada sempre pela Igreja, já no tempo em que o Papa Leão III coroava Carlos Magno Imperador do Ocidente.

Já na época em que, mil anos mais tarde, o Pontífice Leão XIII ensinava na “Immortale Dei” a obrigação dos Estados renderem um culto público a Deus, em homenagem à sua soberania universal.

Mas o nosso tempo, dominado pelo laicismo, deixou de reconhecer as prerrogativas reais de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Daí provêm todos os males da sociedade atual, por ter pretendido organizar a vida individual e social como se essa realeza não existisse, e até em oposição formal a ela.

domingo, 18 de outubro de 2020

Elogio da Igreja a São Fernando III, rei de Castela

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






“Nele, ao lado das preocupações com as coisas do governo, brilharam virtudes régias: a magnanimidade, a clemência, a justiça, e, acima de todas, o zelo pela Fé Católica, um ardoroso empenho no sentido de defender e propagar o culto religioso desta Fé Católica.

“Isto ele realizava principalmente perseguindo os hereges, não suportando que eles se estabelecessem em parte alguma de seus domínios, carregando com suas próprias mãos a lenha para a fogueira que devia queimar os condenados”.



(Fonte: Breviário Romano, Suppl. XXX, mês de Maio)

domingo, 4 de outubro de 2020

"A virgem é açoitada": hino em honra de Santa Catarina de Alexandria

Santa Catarina de Alexandria martir, igreja da Santissima Trindade, Skipton
Santa Catarina de Alexandria mártir,
igreja da Santíssima Trindade,
Skipton, Inglaterra
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







O autor do hino “Virgo Flagellatur” ficou anônimo, como muitas obras da Idade Média.

Nessa época, artistas, autores, cientistas ou inventores não davam tanta importância ao fato de seu nome passar para a História. Eles procuravam a glória de Deus e de seus santos, de Nossa Senhora e da Igreja. E se sentiam pagos com isso.

A criação das grandes catedrais está ligada a aparição de grandes escolas de teologia e artes.

Foi o caso notável de Notre Dame de Paris que inspirou não somente escolas artísticas mas uma Universidade hoje famosa no mundo todo, voltada para as Artes, no sentido muito especial, lato e religioso que lhe davam os medievais.

Foi assim sob as abóvedas protetoras de Notre Dame que nasceu a École Notre Dame de música.

A esta escola deve-se a criação do canto polifônico que enriqueceu extraordinariamente o canto religioso e profano, até então concentrado no inspirado gregoriano cantado a uma só voz.
Santa Catarina de Alexandria, padroeira de Jaén, Espanha
Santa Catarina de Alexandria,
padroeira de Jaén, Espanha

O bispo Maurício de Sully decidiu construir a atual catedral de Notre Dame por volta do ano 1160/1161. Os trabalhos começaram em 1163 e demoraram até 1245.

O altar mor foi consagrado em 1182. Paris resplandecia como um lar de todas as artes e formas de beleza.

Entre elas, as da música. A Igreja multiplicava o fasto maravilhoso das cerimônias e cobrava dos autores novas partituras para as liturgias e procissões.

A família real mantinha economicamente músicos religiosos ou leigos só com esta finalidade.