domingo, 18 de junho de 2017

Bebe a água de São Vicente!

São Vicente Ferrer O. P. (1350 — 1419)
São Vicente Ferrer O. P. (1350 — 1419)
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





São Vicente Ferrer, santo espanhol canonizado em 1458 fazia tantos milagres que o prior proibiu-lhe continuar a faze-los, porque já era demais.

E São Vicente obedeceu. Mas um dia andando pela rua viu um operário que caia do alto de uma obra.

Imediatamente mandou-lhe parar no ar e foi correndo até o prior para lhe pedir com profunda humildade que intercedesse para salvar o homem.

O prior não acreditou na história. Saiu correndo para o local e descobriu o homem pairando no ar sem acabar de cair.

Então, reconheceu a santidade de frei Vicente e lhe permitiu acabar de salvar o homem.

               *              *             *

Certa feita, chegou até São Vicente Ferrer uma mulher que se lamentava de seu marido.



Ele era tão irascível e tão mal-humorado que a convivência tinha ficado impossível.

Pediu então a São Vicente um conselho para restaurar a paz na família.

— “Vai até o convento”, disse o santo, “e fala ao porteiro para te dar um pouco da água da fonte.

São Vicente Ferrer, retábulo mexicano anônimo.
São Vicente Ferrer,
retábulo mexicano anônimo.
“Quando teu marido volte a casa, engole um pouco, mas não a tragues. Conserva-a na boca e verás o milagre que acontecerá”.

A mulher fez o que o santo tinha dito. No fim da tarde, quando o marido voltou a casa, nervoso como sempre, a mulher engoliu a água miraculosa e fechou os lábios.

E, em verdade, o milagre aconteceu: após poucos minutos o marido ficou tranquilo, e a tempestade na família acabou passando.

Nos dias sucessivos, a mulher fez uso desse remédio. E toda vez a água provocou o mesmo efeito milagroso.

São Vicente Ferrer, Convento de São Domingos, Buenos Aires, Argentina
São Vicente Ferrer, Convento de São Domingos, Buenos Aires, Argentina
O marido não ficava mais mal-humorado, até que pelo contrário tinha voltado a ser como fora anteriormente.

Sussurrava-lhe palavras tenras e afetuosas e louvava a paciência e a doçura dela.

A mulher ficou tão feliz com esta mudança do marido que acorreu até o santo para lhe contar o milagre operado por aquela água tão especial.

— “Não foi a água da fonte que fez esse milagre”, lhe disse São Vicente sorrindo, “mas somente teu silêncio. Antes, tuas objeções constantes enfureciam teu marido. Mas teu silêncio, pelo contrário, o deixou de novo tenro e afetuoso”.

Ainda hoje na Espanha existe a frase: “Bebe a água de São Vicente!”

Quem sabe se também nós, de vez em quando, bebêssemos algum gole! O que aconteceria?





GLÓRIA CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS CONTOS CIDADE SIMBOLOS
Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.