domingo, 30 de outubro de 2011

"Os corpos dos santos repousam em paz"

"Os corpos dos santos repousam em paz" (Corpora sanctorum). Canto hispânico da Liturgia da Consagração Altar, segundo o Rito Visigótico.


Os corpos dos santos jazem em paz,
e seu nome permanece para sempre.
Aleluia, aleluia!

domingo, 23 de outubro de 2011

Um santo juízo de Deus

São Bernardo havia ido à Aquitânia, a fim de reconciliar com a Igreja o duque daquela província.

Como o duque se recusasse a toda forma de reconciliação, São Bernardo, ao celebrar uma missa, consagrou a Hóstia, colocou-a na patena e saiu com ela da Igreja.

domingo, 16 de outubro de 2011

A milagrosa história da imagem da Mãe do Bom Conselho de Genazzano -- 2




Estava confirmada a visão da Beata Petruccia. Tornava-se manifesto que a Santíssima Virgem desejava a conclusão das obras.

E a população, que acorrera, enlevada para prestar culto à Imagem, haveria de contribuir generosamente, de então em diante, para a construção da igreja.

Esta não tardou em ser concluída. E, enquanto nela os fiéis veneram o quadro da Virgem e do Menino, maravilhosamente transportado de Scútari pelos anjos, nela também dormem o sono da paz os restos mortais da Beata Petruccia, à espera da ressurreição final.

domingo, 9 de outubro de 2011

A milagrosa história da imagem da Mãe do Bom Conselho de Genazzano -- 1


Na Albânia, no século XV, a religião corria grave risco: de um lado, o fervor da população católica estava em declínio; de outro lado, assaltavam-na com crescente furor as hordas dos invasores maometanos, cujo objetivo era destruir até à raiz a Fé católica em território albanês.

Para evitar a catástrofe, a Providência suscitara um herói comparável, pelo destemor e pela Fé, aos pares de Carlos Magno e aos batalhadores mais salientes das Cruzadas e da Reconquista luso-hispânica: Scanderbeg.

Enquanto ele viveu, a Albânia resistiu. Ele morto, em seguida a feitos heróicos e gloriosos, a resistência albanesa se esboroou. Explicável castigo para uma população atolada na tibieza.

domingo, 2 de outubro de 2011

Elogio da Igreja a São Fernando III, rei de Castela


“Nele, ao lado das preocupações com as coisas do governo, brilharam virtudes régias: a magnanimidade, a clemência, a justiça, e, acima de todas, o zelo pela Fé Católica, um ardoroso empenho no sentido de defender e propagar o culto religioso desta Fé Católica.

“Isto ele realizava principalmente perseguindo os hereges, não suportando que eles se estabelecessem em parte alguma de seus domínios, carregando com suas próprias mãos a lenha para a fogueira que devia queimar os condenados”.


(Fonte: Breviário Romano, Suppl. XXX, mês de Maio)