domingo, 29 de julho de 2012

São Germano de Auxerre não afastou os ladrões porque estava combatendo

Batalha de Bouvines
Batalha de Bouvines
Nossos pais acreditavam que os santos padroeiros dos povoados – João o ‘Silenciário’, Domingos o ‘encouraçado’, Tiago o ‘Interciso’ , Paulo o Simples, Basílio o Eremita, e tantos outros – não foram alheios ao triunfo das armas pelo qual as colheitas foram protegidas.

No próprio dia da batalha de Bouvines, ladrões se introduziram, em Auxerre, em um convento sob a invocação de São Germano, e subtraíram os vasos sagrados.

domingo, 22 de julho de 2012

Legenda da fidelidade

Coroação de Nossa Senhora, Fra Angélico, detalhe
Conta-se que em tempos muito remotos havia um convento de monjas agostinianas, perto da cartuxa de Monte Alegre. Havia entre elas — e era, por certo, a mais humilde — uma monja de família nobre, de alta linhagem e muito bela.

Numa tarde, um cavaleiro que habitava nos arredores do castelo desse lugar, por acaso viu-a no jardim, e de tal maneira impressionou-se por sua beleza, que não teve mais repouso.

Desde então o cavaleiro rondava todas as noites o jardim do convento, chegando ao extremo de escalar os muros e cantar em frente à cela da enclausurada.

Esta teve notícia dos padecimentos do jovem cavaleiro, e chorou amargamente por ser causa deles. Sua humildade e sua religião não podiam suportar a situação que o cavaleiro lhe criava, rondando-a como se fosse do mundo.

domingo, 15 de julho de 2012

Intimidade de duas mães

Rocamadour, imagem que resgatou muitos escravos cristãos da escravidão dos maometanos
O Bem-aventurado bispo de Gênova Jacques de Voragine conta que uma viúva tinha um filho único, a quem queria muito.

Sabendo que ele tinha sido feito prisioneiro pelos inimigos, acorrentado e posto na prisão, ficou profundamente triste.

Dirigindo-se a Nossa Senhora, por quem tinha devoção especial, pediu-lhe com insistência a liberdade de seu filho. Passou-se um tempo, e ela não viu o fruto de suas preces.

Dirigiu-se então a uma imagem de Maria com o Menino Jesus ao colo, na igreja, e disse:
— Santa Virgem, eu vos supliquei a liberdade de meu filho e não quisestes vir em socorro desta mãe infeliz. Implorei vossa proteção para meu filho, e a recusastes. Assim como meu filho foi levado, levarei o vosso, e o guardarei como refém.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Milagres de Nossa Senhora a Antiga, de Sevilha, vergaram o invasor maometano

Nossa Senhora "a Antiga", de Sevilha. Milagres medievais
Nossa Senhora "a Antiga", de Sevilha
A imagem remonta aos primeiros tempos do Cristianismo, anterior aos reinos góticos, motivo pelo qual recebeu o nome de "a Antiga".

Pintada em um muro da catedral, foi muito venerada em toda a península até a Espanha ser invadida pelos muçulmanos. Muza se apoderou de Sevilha, e Abdelasis, seu filho, fez passar a fio de espada grande parte da população.

A catedral foi convertida em mesquita maior, foram destruídos os objetos de culto e se empenharam em fazer desaparecer a imagem de Nossa Senhora a Antiga. Rasparam-na duas, três e muitas vezes mais, porém logo que concluíam sua obra sacrílega a imagem voltava a aparecer, mais bela e resplandecente ainda.

Avisado, Abdelasis foi ver o que acontecia. Logo que se apresentou diante da milagrosa imagem, uma força extraordinária o obrigou a ajoelhar-se, bem como a todo o seu séquito.

Isto se repetiu cada vez que os muçulmanos insistiam em seu iníquo propósito. Para fazê-la desaparecer, resolveram então cobri-la com uma parede maciça de pedra. Mas muitos fiéis continuaram a ver a imagem, como se a parede fosse de cristal.

sábado, 7 de julho de 2012

Convertido por uma Ave-Maria

Nossa Senhora, marfim
O Bem-aventurado João Haroldo narra a história de um homem que vivia continuamente em pecado mortal.

Sua mulher, pessoa de angélica piedade, não podendo conseguir que ele mudasse de vida, obteve, à força de pedidos e súplicas, que rezasse uma Ave-Maria cada vez que encontrasse na estrada uma imagem da Santíssima Virgem. Mais por agradar do que por devoção, aquele desgraçado prometeu e cumpriu sua promessa.

Um dia, quando ia para uma orgia, viu brilhar uma luz a pouca distância. Aproximou-se, como que impelido por mão invisível e misteriosa, e logo se lhe deparou uma estátua de Maria com Jesus nos braços.

Segundo o seu costume, rezou a Ave-Maria. Mas quando ia acabar, reparou que o Menino Jesus estava coberto de feridas, das quais o sangue corria abundantemente. E pensou:
— Ai de mim! São meus pecados que abriram estas chagas em meu divino Redentor.

Estas reflexões arrancaram-lhe dos olhos lágrimas amargas. Mas o Menino Jesus desviou dele seu olhar. Então o pecador, com grande vergonha e confusão, dirigiu-se a Maria:
— Mãe de misericórdia, vosso Filho me rejeita. Intercedei por mim, pois vós sois meu único refúgio.
— Oh! Pecador ingrato! — respondeu-lhe Maria. — Chamais-me de mãe de misericórdia e me tornais a mais miserável das mães, renovando a Paixão de meu Filho e as angústias que nela sofri.