domingo, 25 de julho de 2010

São Remígio e o bispo pecador

São Remígio com o rei Clóvis

continuação do post anterior

Muito tempo depois, Guénebauld, homem de grande prudência, que tinha casado com a sobrinha de São Remi, de acordo com a mulher, decidiram separar suas vidas para entrar em religião.

Guénebauld foi sagrado bispo de Laon por São Remi.

Porém, como Guénebauld permitia que sua mulher o visitasse com muita freqüência para receber dele ensinamentos, nesses encontros seu espírito deixou-se inflamar pela concupiscência e os dois caíram no pecado.

Catedral de Reims
Sua mulher concebeu e deu a luz um filho e avisou ao bispo. E este, inteiramente confundido, informou a São Remi que lhe mandou dizer: “Posto que essa criança foi concebida roubando o que é devido a Deus, eu quero que seja chamada Ladrão”.

Agora bem, Guénebault deixava vir a mulher à sua casa como antes, e ainda que eles tivessem chorado seu pecado, eles caíam ainda em novas faltas.

Após nascer uma menina, enviaram-na a São Remi que respondeu: “Chamai essa filha de Raposa”.

Por fim, caindo em si, Guénebault foi ver a São Remi, e, se jogando a seus pés quis tirar a estola de seu pescoço.

São Remi impediu-o de fazer isso e ouvindo da própria boca dele as desgraças nas quais tinha caído, ele consolou-o com doçura, fechou-o dentro de uma estreita cela durante sete anos, e ele próprio governou a diocese no ínterim.

No sétimo ano, na festa da Ultima Ceia do Senhor, Guénebault estava em oração quando um anjo lhe apareceu, declarando-lhe que seu pecado estava perdoado e lhe ordenando de sair de sua reclusão.

Ele, então, respondeu:

‒ “Não posso, pois, meu senhor Remi fechou a porta e a selou como seu anéu”.

O anjo disse:

domingo, 18 de julho de 2010

São Remígio batizou Clóvis e os francos

São Remi, basílica de Reims
O nome Remígio vem de remi que significa apaziguando e gios, terra, no sentido de apaziguando os habitantes da terra.

Também pode se dizer que Remígio vem de remi, pasto, e gyon combate, quer dizer o pastor que combate.

Ele nutriu seu rebanho com a palavra de pregação, com o exemplo da conversão e com os sufrágios de sua oração.

Há três tipos de armas: as defensivas como o escudo, as ofensivas como a espada e as protetoras como a couraça ou o elmo.

Ele lutou, pois contra o diabo com o escudo da fé, a espada da palavra de Deus e a armadura da esperança. Sua vida foi escrita por Hincmar, arcebispo de Reims.

A nascença de Remi, doutor ilustre e confessor glorioso do Senhor, foi predita por um ermitão, da maneira seguinte: os vândalos devastavam toda a França, e um santo recluso e cego elevava freqüentes prezes ao Senhor pela paz da Igreja francesa, quando um anjo lhe apareceu e disse:

“Sabei que a mulher chamada Cilinie dará a luz um filho de nome Remi; ele libertará seu país da incursão dos ruins”.

Quando ele acordou, correu imediatamente até a casa de Cilinie e contou a visão que tinha tido. Como ela não acreditava em nada por causa de sua velhice, ele respondeu:

‒ “Quando tu amamentarás teu filho, tu ungirás com cuidado meus olhos com teu leite e na hora devolver-me-ás a visão”. Todas estas coisas aconteceram sucessivamente como preditas.

Remi abandonou o mundo e encerrou-se num claustro. Sua reputação crescia, e quando tinha 22 anos, ele foi aclamado pelo povo para ser arcebispo de Reims.

Uma pomba trouxe o óleo para ungir o rei
Ora bem, sua mansidão era tal que os pássaros iam até sua mesa para comer na sua mão as migalhas da refeição.

Tendo sido albergado durante certo tempo por uma matrona que possuía uma pequena quantidade de vinho, Remi entrou na adega fez o sinal da cruz sobre a barrica, começou a rezar, e logo o vinho aumentou tanto que se derramou e se espalhou por toda a adega.

Naqueles tempos, Clóvis era rei da França. Ele era pagão e sua esposa que era muito cristã não pôde convertê-lo.

Porém, quando ele viu vir contra ele um exército incontável de alamanos, ele fez promessa ao Senhor Deus que sua mulher adorava, que adotaria a fé de Jesus Cristo se Ele lhe concedia a vitória sobre os inimigos.

Ele obteve o que desejava e foi, pois, a encontrar São Remi e lhe pediu o batismo.

Ampola com o óleo para sagrar os reis da França
Tendo-se aproximado todos da pia batismal, verificou-se que faltavam os santos óleos.

domingo, 11 de julho de 2010

A caixinha com os olhos


O Rei Ricardo da Inglaterra, indo ao convento de Santo Emblay para entregar uma filha sua, enamorou-se de uma monja.

Enviou-lhe muitos presentes e jóias, com a pretensão de vencer sua vontade. Mas como ela não se submetia, mandou avisar a abadessa que a entregasse, sob pena de destruir o convento.

Enviou então uns homens, para que a trouxessem à força. Quando os homens chegaram ao mosteiro, ela lhes perguntou por que o príncipe se havia enamorado dela mais do que das outras monjas.

Eles lhe responderam que era por causa da grande beleza de seus olhos. Ela então, com decisão, arrancou os próprios olhos, dizendo aos homens:

"Soldados, levem os meus olhos, já que por eles o rei se enamorou. E deixem a mim, pois amo menos os meus olhos do que minha alma".

E em uma caixinha ela os mandou ao Rei. Envergonhado, este dirigiu-se ao mosteiro, para pedir perdão. Pôs a caixa com os olhos sobre o altar da Virgem, dizendo-lhe que não se iria embora até que os restituísse à santa monja.

O milagre se fez, e a Virgem restituiu à monja os olhos mais formosos do que antes, fazendo-se o Rei devoto de Maria e protetor do mosteiro.


(V. Garcia de Diego, "Antologia de Leyendas de la Literatura Universal" - Labor, Madrid, 1953, p. 173)

Desejaria receber gratuitamente 'Orações e milagres medievais' em meu e-mail

domingo, 4 de julho de 2010

Beato Carlos Magno: imperador cultuado em diversas dioceses

Em Carlos Magno, rei dos francos o Papa São Leão III instituiu o Sacro Império Romano Alemão.

O histórico fato aconteceu na noite de Natal do ano 800. Na basílica de São Pedro, no Vaticano, conserva-se no chão a pedra sobre a qual deu-se a coroação.

São Leão III instituiu o Sacro Império Romano Alemão no Natal de 800
Carlos Magno é cultuado como Bem-Aventurado em diversas dioceses antigas e prestigiosas da Europa.

Nessas dioceses as imagens do Beato Carlos Magno se encontram nos altares. No dia de sua festa, há missa e ofício próprios.

Por isso, o avalizado Dom Guéranger, no seu famosíssimo Année Liturgique inclui a seguinte oração litúrgica ao grande Beato Carlos Magno.

Salve, ó Carlos, bem-amado de Deus, Apóstolo de Cristo, defesa de sua Igreja, protetor da justiça, guardião dos costumes, terror dos inimigos do nome cristão!

O diadema maculado dos Césares, mas purificado pelas mãos de Leão, coroa a vossa fronte augusta; o globo do Império repousa em vossa forte mão; a espada dos combates do Senhor, sempre vitoriosa, está suspensa em vosso cinturão; e a unção imperial veio se unir à unção real, com a qual a mão do Pontífice já tinha consagrado vosso braço poderoso.

Transformado na figura de Cristo na Sua Realeza temporal, quiseste que Ele reinasse em vós e por meio de vós.


Carlos Magno, mosaico no exterior de São Pedro, Roma
Ele vos recompensa agora do amor que tivestes por Ele, do zelo que mostrastes pela sua glória, do respeito e da confiança que testemunhastes à sua Igreja. Em troca de uma realeza terrena, caduca e perecível, recebestes uma realeza imortal no seio da qual tantos milhões de almas, arrancadas por vós da idolatria, vos honram como instrumento de sua salvação.

Nesses dias em que celebramos o nascimento de Nosso Senhor por Nossa Senhora, vós lhe apresentais o templo gracioso e magnífico que construístes em sua honra [Aix-la-Chapelle], e que ainda hoje é objeto de nossa admiração.
Foi nesse santo lugar que vossas mãos piedosas colocaram os panos de seu Divino Filho.